Pilates e a Corrida


Quer para os corredores profissionais, quer para os amadores, é necessário ter muita atenção à preparação física para a prática de corrida de forma a evitar lesões. O Pilates é um método de treino que beneficia os adeptos desta modalidade desportiva.

A corrida é uma actividade que exige técnica e o ideal é procurar orientação de um preparador físico, que lhe indicará o treino mais adequado.  Para a prática de corrida, é necessário desenvolver um treino progressivo a partir de uma avaliação inicial e que tenha em conta a condição física, a experiência prévia de movimento e as questões emocionais que possam interferir no desempenho do atleta. Para além disso, deve ter atenção ao tipo de terreno onde se pratica a corrida e à escolha de calçado adequado à prática. É fundamental que os ténis absorvam tanto quanto possível o impacto que a corrida tem nas articulações e tecidos corporais. As lesões mais frequentes nos praticantes de corrida são as fracturas por stress na tíbia, a fascite plantar, as tendinites, as bursites e as distenções nos joelhos e tornozelos.

Melhor do que tratar estas lesões, é preveni-las e o Pilates pode ser um aliado para os praticantes de corrida, sejam eles amadores ou profissionais. As vantagens do método são inúmeras, tanto no que diz respeito à melhoria do desempenho, como que diz respeito à prevenção e reabilitação de lesões. Ao permitir adquirir e manter uma boa postura, Pilates ajuda no aproveitamento biomecânico, evitando sobrecargas nos ossos, músculos e articulações e promovendo ainda uma maior economia de energia, através da respiração correcta.

O Pilates é considerado uma actividade complementar importante para a corrida e a sua eficácia é comprovada. Pelo facto de trabalhar o “core” (conjunto de músculos abdominais e dorsais que controlam o centro de gravidade do corpo), tão importante na corrida, o Pilates estabiliza a coluna lombar e, consequentemente, influencia a posição e movimento dos membros inferiores e superiores.

O fortalecimento da musculatura e o controlo respiratório profundo trabalhados em Pilates permitem uma melhoria da postura evitando desequilíbrios musculares. A respiração correcta ajuda no menos fabrico de ácido láctico o que proporciona um aumento do rendimento e a diminuição da dor muscular. O ácido láctico é libertado durante a prática de exercício físico e provoca dores musculares.

A consciência corporal adquirida em conjunto com uma melhor preparada estrutura músculo-esquelética, permite também a execução de acções rotineiras sem causar dor. Os exercícios na aula de Pilates visam a qualidade do movimento.

Para os adeptos da corrida (e também da marcha) ficam algumas dicas antes de começar: respire profunda e calmamente e concentre-se na actividade que vai praticar. Depois, coordene cada passo a uma respiração – inspire em dois passos e expire em três passos. Sorria e divirta-se.
Enviar um comentário